Mulher que Pode Muito Mais

Mulher que Pode Muito Mais

Oi, tudo bem?

Você é aquela mulher que vive com a sensação de que pode muito mais? Em momentos se sente segura, mas em muitos sente solitária como se tivesse para chegar aquela virada de chave?

As vezes parece que falta até o ar, como se um grito interno, vindo de algum lugar de dentro de você, que suplica por quebrar cascas e  para você vir a ser você por inteira?

Eu sei como é. Eu passei grande parte da minha focada em romper essas cascas, mas eu descobri que quanto mais meu trabalho está focado em quebra-las, mais eu me afasto dessa voz interna. Já dizia martin Luther King “A escuridão não pode expulsar a escuridão, apenas a luz pode fazer isso.” Como assim?

Nós nascemos com esse impulso de vida e com o tempo vamos nos encaixando, sendo moldadas pela família, pelo meio, pela sociedade e quando a percebemos estamos vivendo uma vida que não é nossa. Um estado de deslocamento aparece, mas não sabemos o porque. Vamos ajudando as pessoas ao nosso redor, nos dedicando a família, ao trabalho, ao esposo, aos filhos e aqueles nossos sonhos ficaram perdidos em algum lugar no tempo.

Mas não nos acomodamos, vamos atrás de respostas e buscamos os porquês de sermos assim, de termos esses sentimentos, essas fraquezas. Esse movimento interno é muito importante. Conhecer a sombra é fundamental, já dizia Jung: Conhecer a sua própria escuridão é o melhor método para lidar com a escuridão dos outros. 

Mas saber para onde não ir, não significa saber para onde ir. Saber o que não quer não significa saber o que quer.

Para saber onde ir temos que sentir quem somos, a mulher autêntica em nós, o nosso selfEsses elementos, na sua totalidade energética, são partes de um inconsciente e a mulher intuitiva é aquela capaz de fazer a leitura do inconsciente e se aproximar desses mistérios.

Assim, antes de quebrar cascas, precisamos primeiro sentir o caminho que devemos ir para quebrar somente as cascas que estejam atrapalhando esse caminho.

Se você sente que tem algo atrapalhando é um sinal, uma pista. Se sente que é mãe boa demais, que não se posiciona nas relações, que quer ter um espaço seu na sua vida, é um sinal de que algo chama a ser desvelado.

A mulher intuitiva traz a voz do nosso interior e diz que caminho seguir, como nos posicionar, o que devemos fazer, reconhecendo o que é nosso e o que é imposto.

Clarissa Pinkóla Estés no seu livro Mulheres que Correm com os lobos diz que a “Intuição é o tesouro da psique da mulher” e que no processo de reinstauração da intuição na psique, a mulher precisa ter um objetivo, um caminho a seguir, só assim terá força para superar os desafios.

Há anos venho atendendo mulheres e, através da reinstauração da intuição na psique, as mulheres dão passos muito mais largos em direção a resolução de questões emocionais e do do empoderamento da sua força.

Desde que me tornei terapeuta Bodytalk venho vivenciando a intuição estruturada, uma maneira de alinhar o conhecimento intelectual com a percepção intuitiva. Eu, como Bióloga e estudiosa da Psicologia Analítica e Medicina Chinesa fui estudar como a intuição realmente acontecia em nosso sistema fisiológico e psíquico e descobri que temos um corpo intuitivo!

A intuição é uma habilidade que todas nós temos de trazer informações inconsciente e o nosso corpo é o centro de leitura dessa informação. Temos centros captadores de frequências sutis nas nossas células tendo o coração como o centro.

E é baseado no conhecimento do corpo intuitivo que está alicerçado o processo de desenvolvimento reinstauração da intuição que eu trabalho. Nosso corpo está manifestando o inconsciente o tempo todo e ele dá sinais. É necessário aprender a perceber e confiar nesses sinais.

Ao entrar na jornada de se conectar com a intuição, temos mais clareza para nos perceber, nos colocar em primeiro plano, conduzir mulheres nesse caminho, conduzir grupos, deixando com que a intuição seja a nossa guia.

Embora grande parte das mulheres esteja afastada dessa força, Jung disse que nada se perde na psique. É tempo de mudança! Chegará o momento que cada mulher acreditará na sua intuição e terá força para encontrar o seu modo de vida livremente, não tendo que se adequar aos moldes que aprisionam sua expressão.

Jung diz também que uma mudança social acontece primeiro num inconsciente coletivo e, indivíduos dotados de intuição forte, captam essas mudanças e trazem para o mundo em forma de ideias e ações.

Que sejamos essas mulheres que acordaram para essa mudança, que vão trazer esse novo tempo para as nossas vidas e para as próximas gerações.

Com carinho

Bia

Bia Rossi

Pesquisadora, terapeura Bodytalk

Deixe uma resposta